Artigo 1º – Definição

Campeonato com provas de Trekking de Regularidade (Enduro a Pé).

Especificamente para equipes conforme as categorias definidas pela Organização abaixo relacionadas

  • Elite: No mínimo 2 (dois) e no máximo 7 (sete) pessoas
  • Graduados: No mínimo 2 (dois) e no máximo 7 (sete) pessoas
  • Trekkers: No mínimo 3 (Três) e no máximo 7 (sete) pessoas

Permitido a cada etapa a presença de um 7º (sétimo) integrante (conhecido como carrapato), condicionado ao pagamento normal da inscrição.

O Circuito está aberto à participação de até 100 (cem) equipes distribuídas nas categorias Elite, Graduados e Trekkers. A participação nas categorias é limitada de acordo com ranking do Circuito Mineiro de Trekking.

Obs.: Na categoria Trekkers as equipes que estiverem realizando a prova pela primeira vez serão classificadas em cada etapa separadamente, e junto às demais da categoria.

Artigo 2º – Da Prova

2.1 – Os locais das provas serão determinados pela organização, acontecendo sempre em cidades do estado de Minas Gerais, sendo divulgados no site em momento oportuno.

2.2 – As Provas podem ser realizadas em horários diurnos e/ou noturnos.

2.3 – O Circuito será composto de 11 provas, divididas em 1º e 2º semestres, segundo calendário divulgado no site. Poderá haver alterações nas datas das provas, inclusão de provas extras especiais a critério da organização, e até mesmo o cancelamento de alguma etapa caso seja necessário por parte da organização do campeonato, e o fato ou fatos deverão ser comunicados com antecedência aos participantes no site da competição.

O campeonato referente ao primeiro semestre somará na classificação a pontuação conforme descritivo em regulamento das cinco primeiras etapas realizadas no ano, ou seja, primeiro semestre vai da 1ºEtapa que será 04 de março a 5º Etapa que acontecerá dia 8 de julho.

A classificação referente ao segundo semestre somará a pontuação das seis etapas seguintes no ano que são da 6º Etapa dia 05 de agosto a 10º Etapa que será realizada dia 09 de dezembro, incluindo a pontuação da etapa noturna que ainda terá a data definida.

2.4 – Em todas as categorias é permitida a participação de pessoas de ambos os sexos, maiores de 10 (Dez) anos. Porém, menores de 16 (Dezesseis) anos, somente poderão participar acompanhados de maior responsável ou com autorização assinada pelo pai ou responsável.

2.5 – Participação da equipe em uma etapa vai da sua apresentação no Check – in a entrega da premiação de sua categoria. A não permanência da equipe durante todo este período será considerada como abandono da etapa. A mesma não terá direito a troféu, premiação e elaboração de possíveis recursos. Atenção a prova só termina com a entrega da premiação de sua categoria.

Artigo 3º – Inscrições

3.1 – A inscrições poderão ser feita na sede da Organização, via e-mail, telefone, nos sites, em lojas e estabelecimentos credenciados ou nos locais das provas, devendo, porém este último modo ser evitado, para que não haja descontrole no número de participantes. Caso este último modo de inscrição ocorra, fica valendo ainda o seguinte aviso: Ficam sujeitos aos competidores inscritos de última hora a possibilidade da falta de frutas e água no Neutral, bem como a falta do brinde, sendo estes itens entregues, apenas em caso de sobra. As equipes que fizerem inscrição na ultima semana antes da prova, ficarão ainda sujeitas a receber o brinde na etapa posterior, devido ao tempo mínimo para confecção dos mesmos.

3.2 – Será cobrada uma taxa de inscrição que varia de acordo com a data da realização da mesma, as regras, valores e prazos são colocados no site a cada prova.

O valor da inscrição dá direito a participar do evento integralmente, fazendo uso das frutas e água que serão fornecidas no Neutralizado, bem como recebendo um brinde que será entregue no dia do evento e poderá ser: camiseta, boné, adesivo, chapéu, etc, salvo condições explicitas no item 3.1.

3.3 – Em caso de desistência ou não comparecimento, adotaremos o sistema de credito conforme item 3.4, a decisão pela devolução da inscrição (integral ou parcial), caberá unicamente ao organizador.

3.4 – A utilização do credito fica sujeita as seguintes condições:

  1. Promoções, descontos ou isenções não geram créditos.

  2. Os créditos advindos de inscrição e ausência na prova têm sua validade apenas na próxima etapa.

  3. Casos especiais serão avaliados pela organização.

3.5 – Se por qualquer motivo de força maior ou de segurança, a prova tiver que ser adiada ou interrompida, os organizadores não serão obrigados a nenhum tipo de indenização; a devolução, créditos ou ressarcimento de qualquer quantia será decidido unicamente pelo organizador do evento as medidas a serem tomadas.

3.6 – Iremos definir a forma com que os participantes colaborarão socialmente com as comunidades, Contribuição Social, seja por meio de doação de alimentos, roupas, dinheiro ou até mesmo trabalho voluntário para uma instituição de caridade. Isto será decidido em conjunto com as equipes. A entrega de 1 Kg de alimento por integrante de forma obrigatória continuará existindo e a equipe que não entregar os alimentos no ato do check-in será penalizada em 50 pontos por integrante.

3.7 – Nome das Equipes deverá ser cadastrado em nosso site www.minastrekking.com.br juntamente com o cadastro individual de cada atleta.

Cada equipe já existente terá o nome ligado ao coordenador da equipe.

  1. As equipes terão o nome analisado pela organização antes da inscrição e só serão aprovados caso não existam nomes com pronuncia parecida ou nomes parecidos, exceto com autorização do coordenador da equipe já existente.

  2. Em caso do desmembramento de uma equipe o nome permanece com o coordenador, que poderá passar o mesmo para outro membro da equipe desde que isso seja feito por escrito para a organização.

  3. Equipes inativas a mais de 6 meses terão seus nomes descadastrados e disponibilizados para serem usados por novas equipes.

  4. Equipes de outros estados ou cidades com nomes iguais ou similares poderão manter os mesmos nomes, porém com a cidade ou estado incorporado ao nome. Ex: Pé de Pano – SP, Equipilantra – Nova Lima.

3.8 – Ao ter a ficha de inscrição assinada por um coordenador/integrante da equipe, todos os integrantes desta equipe afirmam conhecer as normas e procedimentos de segurança relativos ao esporte e estar de acordo com o regulamento da competição, estarem em boas condições de saúde para a prática deste tipo de esporte; assumindo todos os riscos da mesma, consigo ou outrem, isentando organizadores e patrocinadores de responsabilidade sobre qualquer acidente ou incidente que possa acontecer se causado por atitude inapropriada do competidor ou pela natureza, que possa ocorrer antes, durante ou depois da prova; autorizam ainda o organizador a usar sua imagem para fins publicitários.

Artigo 4º – Equipes Admitidas

4.1 – As equipes deverão acompanhar pelo site a confirmação de sua inscrição e as informações atualizadas sobre a prova .

4.2 – Todos os integrantes da equipe devem preencher o cadastro individual com a ficha no site

4.3 – Cada Equipe deverá ser apresentada para vistoria (Chek-In), em Local, Data e Horário determinados pela organização, no mínimo 30 (Trinta) minutos antes da largada. Os integrantes das Equipes deverão estar munidos do comprovante de inscrição, recibo de depósito bancário.

4.4 – Ficará a critério da organização, impedir a largada ou continuidade na prova de qualquer Equipe que não reúna condições de segurança mínima exigida.

4.5 – No caso de apuração eletrônica, após a confirmação da inscrição, as equipes deverão retirar seu CHIP de memória e ou GPS e verificar ultimas informações e correções no quadro de avisos. Obs.: É total a responsabilidade da equipe de tomar conhecimento das alterações e correções ocorridas na planilha de orientação antes da largada.

Artigo 5 – Ordem / Horário de Largada

5.1 – O horário de largada da primeira equipe em cada categoria será definido pela Organização.

5.2 – As 5 (cinco) primeiras equipes terão sua ordem de largada determinada pela classificação da etapa anterior, ou seja, largará em primeiro a equipe que ficou em primeiro lugar na etapa anterior, em segundo, larga a equipe que ficou em segundo lugar e assim sucessivamente até o 5º (Quinto) lugar, sendo que as demais equipes, mesmo que não tenham pontuado na etapa anterior, terão sua ordem de largada determinada por ordem de inscrição. Para a primeira prova de cada semestre, será considerada a classificação final do semestre anterior. Em caso de novas categorias onde não dê para enquadrar na regra, valerá a ordem de inscrição.

5.3 – O intervalo de largada entre as equipes será determinado pela organização e poderá mudar a cada prova.

5.4 – A Ordem de largada das Equipes será em ordem numérica: 01, 02, 03 e assim sucessivamente.

Artigo 6 – Pontuação Para Classificação Semestral

6.1 – Participam da classificação primeiro e segundo semestre, separadas por categorias as equipes Elite, Graduados, e Trekkers.

6.2 – Seguindo o mesmo critério que determina o vencedor das provas, as equipes iniciarão os semestres com (zero) pontos e, em virtude de sua classificação nas provas, perderão pontos, de acordo com a tabela seguinte:

 

Colocação

Pontos

Colocação

Pontos

Colocação

Pontos

Colocação

Pontos

0

5

6

10º

10

2

6

7

11º

11

3

7

8

12º

12

4

8

9

13º…..

13…

 

6.3 – Essa sequência continuará até que pontue a última equipe na prova.

6.4 – Para efeito de classificação nos semestres, as equipes que não comparecerem em uma determinada prova receberão os pontos da última equipe de sua categoria desta prova + 1 (exe.: uma equipe não participou de uma prova em que competiram 40 equipes receberá a pontuação de 41 pontos perdidos na mesma).

6.5 – A classificação referente ao primeiro semestre somará os pontos conforme descritivo no regulamento no ítem 6.1 das seis primeiras etapas realizadas no ano, de fevereiro a julho, e a classificação referente ao segundo semestre somará a pontuação das seis etapas seguintes no ano, que são as etapas de agosto a dezembro, incluindo a pontuação da etapa noturna com data ainda a ser definida.

Observação: Caso a organização seja impossibilitada de realizar uma das etapas descritas no calendário, a etapa não somará pontos às classificações.

6.6 – Serão declaradas vencedoras dos semestres, as equipes que acumularem menos pontos perdidos.

6.7 – Em caso de empates será declarado campeã a equipe que tiver o maior numero de 0 (zero) pontos perdidos em etapas. Caso persista o empate, a que tiver o maior número de 1 (um) ponto perdido e assim sucessivamente.

Artigo 7 – Pontuação Para Classificação Anual Categoria Elite e Graduados.

7.1 – Participam da classificação anual, separadas por categorias as equipes Elite e Graduados.

7.2 – Seguindo o mesmo critério que determina o vencedor dos semestres, as equipes iniciarão a classificação anual com (zero) pontos e, em virtude de sua classificação nas provas, perderão pontos, de acordo com a tabela seguinte:

 

Colocação

Pontos

Colocação

Pontos

Colocação

Pontos

Colocação

Pontos

0

5

6

10º

10

2

6

7

11º

11

3

7

8

12º

12

4

8

9

13º…..

13…

7.3 – Essa sequência continuará até que pontue a última equipe na prova.

7.4 – Para efeito de classificação, as equipes que não comparecerem em uma determinada prova receberão os pontos da última equipe de sua categoria desta prova + 1 (ex: uma equipe não participou de uma prova em que competiram 40 equipes receberá a pontuação de 41 pontos perdidos na mesma).

7.5 – Para a classificação anual será somado às onze melhores pontuações das doze etapas: Onze provas diurnas e uma etapa noturna. (Ou seja, será descartada a pior pontuação das doze provas realizadas no ano).

Observação: Caso a organização seja impossibilitada de realizar uma das etapas descritas no calendário, a etapa não somará pontos à classificação.

7.6 – Serão declaradas vencedoras do ano, as equipes que acumularem menos pontos perdidos.

7.7 – Em caso de empates será declarado campeã a equipe que tiver o maior numero de 0 (zero) pontos perdidos em etapas. Caso persista o empate, a que tiver o maior número de 1 (um) ponto perdido e assim sucessivamente.

7.8 – Por se tratar de uma categoria destinada as primeiras participações no esporte, as equipes da categoria Trekkers não participam da classificação anual.

Artigo 8 – Premiação, troféus, medalhas por Etapa.

8.1 – A Premiação do Circuito Mineiro de 2017 seguirá a tabela a seguir e poderá sofrer mudanças ao longo do ano, baseado nos patrocínios e apoios que forem sendo conquistados.

 

Categoria Graduados Elite

Colocação

Troféu

Medalha

Um por equipe

Uma por participante

Um por equipe

Uma por participante

Um por equipe

Uma por participante

 

 

Categoria Graduados

Colocação

Troféu

Medalha

Um por equipe

Uma por participante

Um por equipe

Uma por participante

Um por equipe

Uma por participante

 

 

Categoria Trekkers

Colocação

Troféu

Medalha

Um por equipe

Uma por participante

Um por equipe

Uma por participante

Um por equipe

Uma por participante

 

8.2 – Um Troféu Mr. / Miss Passo (Melhor contador de passo) de cada categoria.

8.3 – As equipes deverão permanecer até o final do evento para receber os troféus. Caso a equipe deixe o local antes do termino do evento, a mesma estará abrindo mão do troféu, não será feita a entrega de troféus posteriormente. Após a etapa todos os troféus serão devolvidos para a empresa fabricante.

8.3 – Só poderão receber os troféus integrantes da equipe vencedora inscritos na etapa. Em hipótese alguma serão entregues para participantes de outras equipes.

Artigo 9 – Premiação, troféus por Semestre.

9.1 – Um Troféu para cada uma das 3 melhores equipes de cada categoria nos semestres.

9.2 – Um Troféu para cada Mr. / Miss Passo de cada categoria nos semestres.

Artigo 10 – Premiação final Circuito Mineiro de Trekking 2017.

10.1 – Um Troféu para cada uma das 3 melhores equipes Elites e Graduados na classificação geral.

10.2 – Além dos troféus, outros prêmios, sorteios de brindes e promoções irão sendo divulgados ao longo de 2017, dependendo dos apoios e patrocínios adquiridos para o campeonato.

Artigo 11 – Regulamento

11.1 – A Organização do Campeonato seguirá este regulamento na integra bem como as regras do esporte.

11.2 – Poderão, no entanto ser introduzidas no meio da competição mudanças ou melhorias desde que informadas aos competidores.

11.3 – Os Organizadores do Campeonato de Trekking são as únicas autoridades que permitem qualquer tipo de publicidade com respeito à prova. Os competidores, membros da organização, todos os demais participantes e/ou envolvidos com o evento, autorizam o uso de sua imagem, cinética e eletrônica, para fins comerciais, editoriais, promocionais e publicitários.

11.4 – Todo competidor, ao se inscrever na prova, declara obrigatoriamente conhecer o regulamento e a ele submeter-se.

Artigo 12 – Casos Omissos

Os casos omissos no regulamento serão resolvidos e julgados pela Direção de Prova.

REGULAMENTO DO ESPORTE

Regulamento desenvolvido pela organização em conjunto com equipes colaboradoras e a FMT- Federação Mineira de Trekking e Enduro a Pé.

REGRA 1 – Categorias

1.1 – As Categorias para uma prova de Trekking deverão ter o seguinte formato:

  • Categoria Elite
  • Categoria Graduados
  • Categoria Trekkers

1.2 – Uma equipe que esteja classificada pela organização em uma determinada categoria não poderá descer para outras categorias.

Elite

1.3 – Categoria Elite – Serão aceitas inscrições de equipes que foram classificadas nesta categoria pela organização no semestre anterior. .

1.4 – Ao final do ano, as 10 (dez) melhores equipes classificadas pela organização deverão permanecer nesta categoria, as demais fica a critério da organização e da equipe mudar para a categoria Graduado ou permanecer na Elite.

1.5 – Equipes de outros estados poderão se inscrever nesta categoria desde que participem em categoria similar em seus estados de origem.

Graduados

1.6 – Categoria Graduado – Serão aceitas inscrições de equipes que foram classificadas nesta categoria pela organização no semestre anterior.

1.7 – Ao final do ano, a organização poderá subir as equipes vencedoras para a Categoria Elite de acordo com o nível técnico de cada equipe, a critério e julgamento do diretor de prova de cada campeonato.

1.8 – Esta Categoria também receberá as melhores equipes classificadas na categoria Trekkers.

1.9 – Equipes de outros estados poderão se inscrever nesta categoria desde que participem em categoria similar em seus estados de origem.

1.10 – Em caso de fusões ou formação de novas equipes é permitido a participação de apenas um integrante da Categoria Elite os demais devem ser Graduados ou Trekkers.

Trekkers

1.11 – Categoria Trekker – Inscrições abertas a todas as equipes iniciantes no esporte. Serão aceitas inscrições de equipes que foram classificadas nesta categoria pela organização.

1.12 – Ao final do semestre, fica a critério da organização de acordo com o numero de equipes participantes e o nível técnico subir para a Categoria Graduados as equipes melhores colocadas.

1.13 – Equipes de outros estados poderão se inscrever nesta categoria desde que participem em categoria similar em seus estados de origem.

1.14 – Esta Categoria também poderá receber equipes Graduadas reformuladas, com alteração de participantes, cabe unicamente a organização avaliar e permitir a participação.

1.15 – Em caso de fusões ou formação de novas equipes é permitida a participação de apenas um integrante da Categoria Graduados os demais devem ser Trekkers.

1.16 – Esta categoria tem como objetivo a iniciação no esporte, por tanto não possui classificação anual.

1.17- Não será permitido a utilização de aparelhos eletrônicos desenvolvidos especialmente para o esporte como Totem, Winer na categoria Trekker.

REGRA 2 – Classificação / Ranking

2.1 – A organização será responsável pela divulgação mensal do Ranking das equipes por categoria.

2.2 – Ao final de cada semestre e ano será divulgado o ranking final das equipes e as alterações para o próximo semestre.

2.3 – As equipes Trekkers não participam do ranking anual uma vez que podem mudar de categoria ao termino de cada semestre.

REGRA 3 – Horário de largada

3.1 – O horário de largada da primeira equipe, em cada prova, será definido e divulgado pela ORGANIZAÇÃO.

3.2 – A ORGANIZAÇÃO disponibilizará em local visível o horário oficial de cada prova, que será a única referência de tempo, seja para os participantes, seja para a ORGANIZAÇÃO.

3.3 – A ordem de largada de cada prova será definida até a sexta-feira que a antecede a prova. As confirmações posteriores à divulgação desta ordem serão inseridas na sequência natural.

3.4 – O intervalo de largada entre as equipes será determinado pela ORGANIZAÇÃO, e poderá ser diferente para cada prova, categoria ou grupo de equipes de cada categoria.

3.5 – A alteração de horário de largada de uma equipe só será possível mediante autorização da ORGANIZAÇÃO.

3.6 – Caso não haja PC de largada nas etapas, a mesma se dará de forma automática, sendo exclusivamente da equipe a responsabilidade de estar de acordo com o horário oficial da ORGANIZAÇÃO e proceder à sua largada.

REGRA 4 – As provas

4.1 – A ORGANIZAÇÃO definirá os locais das provas e os divulgará em tempo hábil para as inscrições.

4.2 – A ORGANIZAÇÃO definirá os locais de largada e chegada de cada prova, que podem ou não ser coincidentes.

4.3 – O esporte é predominantemente praticado em ambientes naturais, é um esporte rústico. Os locais que recebem as etapas nem sempre possuirão infraestrutura (restaurante, banheiros, chuveiros, etc.) suficiente para satisfazer plenamente a quantidade de pessoas que participam das provas. Neste ponto, contamos com a compreensão e colaboração de todos.

4.4 – Cada prova compreende o período de tempo entre a abertura do check-in até a divulgação do resultado oficial a não permanência da equipe durante todo este período será caracterizada como abandono da equipe que perde seus direitos de recursos, troféus e premiações.

Percurso

4.5 – As provas poderão conduzir os participantes por ruas, becos, estradas pavimentadas, secundárias, privadas ou abandonadas; por trilhas fechadas ou abertas, pastos, rios, lagos, subidas ou descidas, podendo haver trechos, direções ou velocidades diferentes para cada categoria.

4.6 – O percurso compreende a largada e o PC de chegada que pode ser colocado fora do portal de largada/ Chegada.

4.7 – Ao ser registrado o PC de chegada a prova termina para a equipe, não valendo futuras marcações em PCs.

Tipos de Trechos das Provas

4.8 – Velocidade/ Regularidade: São trechos representados por um número, indicando a velocidade média a ser mantida, em Metros por Minuto.

4.9 – Deslocamentos: São trechos identificados na planilha, que servem para travessia de rios, lagos, atoleiros, trânsito, etc, onde não haverá média de velocidade imposta, mas um tempo pré-determinado para essa travessia. Esse tempo é identificado na planilha por: Hora, minutos e/ou segundos:

4.10 – Neutralizados ou Neutro: São trechos de parada, onde a Equipe tem um tempo estipulado para descanso, cálculo, lanche, etc. Esse tempo é identificado na planilha por: Hora, minutos e/ou segundos.

4.11 – Os tempos e velocidades podem ser omitidos na planilha e devem ser encontrados durante o percurso em placas ou através de cálculos.

4.12 – Ramificações: no mínimo 1 (Um) integrante da Equipe deverá percorrer o trecho de ramificação descrito na planilha. No trecho de ramificação e no trecho a ser percorrido pelo restante da equipe poderá haver todos os tipos de PC.

4.13 – Provas Especiais: Atividades como Travessia de barco, bóia, tirolesa, rapel, plantio de árvores, etc., que a equipe terá um tempo para executar. O local da Prova Especial e seu referido tempo estarão identificados na planilha ou serão indicados durante o percurso. A equipe poderá ser penalizada caso não realize as atividades determinadas na prova especial ou, ainda, poderá ser determinado um bônus para as equipes que a realizarem.

REGRA 5 – As planilhas

5.1 – Serão fornecidas pelo menos 3 planilhas para cada equipe. Poderá haver planilhas extras para venda ou distribuição gratuita no check-in.

5.2 – É responsabilidade exclusiva das equipes a conferência da quantidade e da sequência das páginas das planilhas. Não serão aceitos recursos sobre este tópico.

5.3 – A planilha terá 3 colunas: A primeira, com a distância em metros (parcial e acumulada); a segunda, com o desenho da referência (padrão tulipa) ou indicação de bússola, referente à direção a ser seguida; e a terceira, com informações complementares (alertas de perigo, graus de bússola, etc.).

5.4 – Cada tipo de trecho será informado por meio de indicação que utiliza horizontalmente as três colunas da planilha.

5.5 – Neutralizados e neutros serão tratados como trechos nas planilhas.

5.6 – Durante o percurso poderá haver instruções para inclusão, exclusão ou não utilização de trechos.

5.7 – Para a categoria ELITE E GRADUADOS poderá haver formas diferenciadas de navegação (ex: navegar a planilha ao contrário) ou entrega de planilhas somente no horário ideal de largada.

INDICAÇÕES DE DISTÂNCIAS

5.8 – Nas referências em que for informada a distância, essa informação será em metros e de duas maneiras: A de cima fornece a metragem parcial e a de baixo a acumulada.

5.9 – Um trecho poderá ou não começar da metragem 0 (Zero). Ele poderá iniciar com a sequência de metragem do(s) trecho(s) anterior(es).

5.10 – Poderá haver TRECHO ABERTO, e significa que não foi fornecida a distância final do trecho. Neste caso, a equipe deverá valer-se de sua medição de distância para determinar a metragem final do trecho e prosseguir dentro do seu tempo ideal.

INDICAÇÕES DE ROTEIRO

5.11 – Os desenhos das referências utilizarão o padrão Tulipa. O sentido de leitura de cada referência será sempre de baixo para cima. Na simbologia empregada, a “bolinha” indica o local de onde a Equipe vem, a “setinha” indica a direção que a equipe deve seguir, e o “quadradinho” indica o local exato da medição.

5.12 – Os desenhos das referências que simbolizam interseções, desvios, obstáculos, casas, porteiras, cercas, etc., deverão representar com a maior fidelidade possível as situações reais do roteiro.

5.13 – Poderá ser exigida a navegação por meio do uso de bússola, com a indicação do rumo (em graus, na coluna das informações complementares) a ser seguido. Essa navegação poderá apontar a localização de uma referência a ser encontrada (“pela trilha”, “por trás da pedra”) ou uma linha reta a ser seguida, ignorando obstáculos naturais do roteiro (siga a “X” graus).

INDICAÇÕES DE VELOCIDADE

5.14 – A velocidade para realização do trecho será sempre fornecida em M/Min (metros por minuto), mesmo que a unidade de medida não esteja explicitamente representada.

5.15 – Não poderá haver velocidades representadas por números fracionados.

ALTERAÇÕES DE ROTEIRO / BRIEFING

5.16 – No caso de modificações no roteiro antes do início da prova, as mesmas serão afixadas no quadro de avisos, próximo ao check-in ou à largada. É responsabilidade da equipe verificar o quadro de avisos da etapa antes da largada. Não serão aceitos recursos sobre esse item.

5.17 – Imprevistos no percurso durante a realização da prova (gado, cachorros, porteira trancada, atoleiros, vespas, queda de barreira, etc.), que dificultem ou impeçam a equipe de passar por determinado ponto, fazem parte da competição, devendo a equipe encontrar meios que a conduzam ao roteiro original, permanecendo os tempos ideais inalterados, não cabendo recursos quanto à estas situações.

REGRA 6 – Apuração do desempenho das equipes nas provas

6.1 – A apuração pode ser eletrônica com chip e poderá haver cartão de comprovação de passagem pelos postos de controle – PC’s (para perfuração, colagem de etiquetas, assinatura do PC, etc).

6.2 – A ORGANIZAÇÃO fornecerá o relógio oficial da prova, com hora, minuto e segundo, que será a referência de todas as atividades da ETAPA, devendo estar disponível às equipes, no máximo, trinta minutos antes da largada da primeira equipe.

POSTOS DE CONTROLE – PC’s

6.3 – Os PC’s serão colocados no percurso para a verificação do desempenho das equipes nas provas em locais de conhecimento exclusivamente da ORGANIZAÇÃO e das pessoas autorizadas do staff, podendo estar ou não nas referências da planilha e/ou em ordem numérica.

6.4 – Os PC’s poderão ser operados por pessoas ou pela própria equipe (PC placa). Nos PC’s placa, a equipe deverá “chipar” no momento em que se considerar no horário ideal de passagem. As pessoas que operarem os PC’s serão treinadas para a operação dos coletores, poderão aplicar penalidades e serão orientados para não responder a qualquer tipo de indagação dos participantes.

6.5 – A equipe que solicitar orientação aos PC’s ou resgates assumirá o risco da imprecisão das informações, não podendo interpor recurso sobre o assunto questionado.

6.6 – A autoridade dos PC’s é inquestionável. As pessoas que os operam, os resgates, o diretor de Trilha e a ORGANIZAÇÃO poderão aplicar penalidades caso entendam necessário.

6.7 – Os PC’s poderão ser de tempo, roteiro, virtual, Punição ou móvel:

Tempo: Registra a hora, minuto e segundo em que a equipe passa em um ponto determinado do percurso. Este tipo de PC poderá ser de placa, sem a presença de operador do coletor (o coletor fica numa placa, a equipe marca a passagem e “chipa” para descarregar o tempo, ao seu exclusivo critério);

Roteiro: Registra se a equipe está no percurso determinado pela ORGANIZAÇÃO;

Virtual: Registra a distância que a equipe mediu em um trecho determinado pela ORGANIZAÇÃO, do início do trecho até a localização do PC no mesmo;

Punição: Colocado fora do percurso correto, penaliza em pontos a equipe que por ele for anotada.

Móvel: Poderá, aleatoriamente (sem obrigação de fiscalizar todas as equipes), registrar o número de integrantes de qualquer equipe, o tempo de passagem entre os integrantes da equipe, verificar o uso de equipamentos obrigatórios, conferir a utilização de equipamentos proibidos, etc., podendo surpreender as equipes em qualquer ponto do percurso, por mais de uma vez;

6.8 – Ao avistar o PC, a equipe deverá prosseguir normalmente, mesmo que esteja adiantada. Caso a equipe pare na área de visão do PC de tempo, o tempo será registrado no momento da parada e a equipe poderá ser penalizada. Cabe a equipe sempre andar no tempo ideal.

6.9 – Se somente um integrante da equipe chegar no PC, este não realizará a marcação a equipe deve sempre andar junta Neste caso, o PC poderá aplicar a penalidade prevista neste documento.

6.10 – Após o registro do tempo, apenas um integrante da equipe deverá se dirigir até o PC para que o mesmo descarregue o tempo no chip da equipe. O PC poderá não informar para a equipe o local onde será efetuada a coleta do tempo de passagem.

6.11 – A comprovação de empréstimo de etiqueta de passagem, de cartão de passagem ou a marcação fraudulenta do mesmo (caso haja) implica em imediata desclassificação da(s) equipe(s) envolvida(s), sem direito a recurso.

6.12 – Se a equipe passar 2 vezes no mesmo PC, SEMPRE será válido o primeiro tempo anotado.

6.13 – Poderá haver situações em que a equipe deverá passar mais de uma vez no mesmo PC. Neste caso, a ORGANIZAÇÃO, em conjunto com o APURADOR, determinará como será efetuada a coleta dos tempos pelos PC’s.

6.14 – Os PC’s serão colocados no percurso, no máximo, 15 minutos antes do horário ideal de passagem da primeira equipe (mas poderão ser colocados com horas de antecedência) e lá permanecerão até 10 minutos após o tempo ideal de passagem da última equipe, ou até a passagem do resgate final (limpa trilha).

6.15 – Para cada PC haverá um ponto físico (estaca, toco, galho, linha imaginária, etc.) onde será efetuada a medição do desempenho da equipe.

6.16 – Fica a critério exclusivo da ORGANIZAÇÃO penalizar ou não as equipes que chegarem ao PC em sentido diverso ao previsto pela planilha. Caso essa penalização seja aplicada em uma prova, a ORGANIZAÇÃO comunicará a todos, na planilha, no briefing ou no quadro de avisos.

6.17 – As MARCAÇÕES serão referentes a ordem do integrante determinado pela direção de prova, do primeiro ao último integrante da equipe a passar por este ponto. Serão coibidas as tentativas de envio de “batedores” pelas equipes.

6.18 – O PC Virtual registrará a distância fornecida por um integrante da equipe, que deverá conferir o valor digitado pelo PC antes de ser descarregado no chip. Após a confirmação não haverá possibilidade de nova anotação.

6.19 – A critério da ORGANIZAÇÃO, por eventuais necessidades técnicas ou físicas, um PC de tempo ou virtual poderá ser convertido em PC de roteiro, sendo penalizadas as equipes que por ele não tenham passado.

REGRA 7 – Resultados das provas

7.1 – Em cada prova as equipes largarão com 0 (zero) pontos perdidos e, em virtude de seu desempenho nos PC’s ou por cometer penalidades, perderão pontos.

7.2 – Ao fim de cada prova a equipe entregará à ORGANIZAÇÃO o chip que utilizou e o cartão de passagem (caso haja), para a emissão de sua ficha de performance. As equipes serão classificadas pela ordem crescente de pontos perdidos, sendo declarada vencedora aquela que somar o menor número de pontos perdidos.

7.3 – Os critérios para apuração dos pontos perdidos pelas equipes são os seguintes:

7.4 – NOS PC’S

PC de tempo

– para cada segundo atrasado = 1 (um) ponto perdido, sem tolerância.

– para cada segundo adiantado = 2 (dois) pontos perdidos, sem tolerância.

– acima de dez minutos atrasados = 600 (seiscentos) pontos perdidos (valor fixo).

– acima de cinco minutos adiantados = 600 (seiscentos) pontos perdidos (valor fixo).

– se a equipe não passou por ele = 800 (oitocentos) pontos perdidos (valor fixo).

PC virtual

– Para cada metro registrado a mais ou a menos da distância correta = 1 (um) ponto perdido.

– se a equipe não passou por ele = 800 (oitocentos) pontos perdidos (valor fixo).

PC de roteiro

– se a equipe passou por ele = 0 (zero) pontos perdidos.

– se a equipe não passou por ele = 800 (oitocentos) pontos perdidos (valor fixo).

PC “de erro”

– se a equipe passou por ele = 300 (trezentos) pontos perdidos (valor fixo).

– se a equipe não passou por ele = 0 (zero) pontos perdidos.

PENALIDADES

7.5 – As penalidades poderão ser aplicadas por qualquer PC, pelos resgates, pelo diretor de trilha ou pela ORGANIZAÇÃO.

7.6 – As penalidades não são lançadas nos equipamentos de coleta de dados nem no chip da equipe. O aplicador da penalidade comunicará o APURADOR e a ORGANIZAÇÃO, o que poderá ocorrer após a divulgação do resultado da etapa. Somente neste caso o resultado de uma etapa poderá ser alterado, com ampla divulgação da penalidade aplicada.

7.7 – Os pontos perdidos para cada penalidade são:

  • 800 (oitocentos) pontos perdidos = passar pelo PC com menos de dois integrantes ou não passar por ele.
  • 800 (oitocentos) pontos perdidos = passar pelo PC com nº de integrantes acima do declarado na inscrição.
  • 800 (oitocentos) pontos perdidos = recusar-se a descarregar o tempo do PC no chip após o “bip”.
  • 800 (oitocentos) pontos perdidos = utilizar “batedor” durante a etapa (verificando a colocação dos PC’s, dificuldades, etc.);
  • 800 (oitocentos) pontos perdidos = não largar no horário estabelecido pela ORGANIZAÇÃO.
  • 800 (oitocentos) pontos perdidos = andar com intervalo superior a 20 metros entre os integrantes da equipe.
  • 800 (oitocentos) pontos perdidos = não utilizar equipamentos de uso obrigatório.
  • 800 (oitocentos) pontos perdidos = tumultuar o trabalho do PC.
  • 800 (oitocentos) pontos perdidos = não respeitar a fila do PC.
  • 800 (oitocentos) pontos perdidos = parar no campo de visão do PC, depois de alertada a equipe.
  • 800 (oitocentos) pontos perdidos = não fechar porteiras, quando determinado na planilha.
  • 50 (cinquenta) pontos perdidos por integrante que não participar da Ação Social do Circuito.
  • 300 (trezentos) pontos perdidos = passar pelo PC “de erro”.

7.8 – Se por qualquer motivo, um integrante da equipe necessitar abandonar a prova, a mesma deverá deixá-lo no PC mais próximo ou com um resgate da prova. A equipe não poderá prosseguir na prova sem esse procedimento, situação em que a equipe sofrerá a penalidade de 800 (oitocentos) pontos perdidos em todos os PC’s que passar sem esse integrante. Não caberá recurso sobre esse item.

PERFORMANCE DAS EQUIPES

7.9 – Ao fim de cada prova, após a entrega do chip e do cartão de passagem (caso haja) à ORGANIZAÇÃO, estes serão levados ao APURADOR, que emitirá a ficha de performance da equipe.

7.10 – As fichas de performance serão entregues pela ORGANIZAÇÃO às equipes, a seu exclusivo critério, à medida em que as equipes forem chegando, em lotes ou até, no máximo, trinta minutos após a chegada a última equipe.

7.11 – Apenas durante os cinco minutos que sucederem a entrega da ficha de performance à equipe, a ORGANIZAÇÃO receberá reclamações e recursos sobre a mesma. Este prazo é prorrogável de acordo com a necessidade da direção de prova.

7.12 – Decorridos os cinco minutos não serão aceitos pela ORGANIZAÇÃO nenhuma reclamação ou recurso, em nenhuma hipótese, sem direito a nenhuma reparação às equipes que não se utilizarem do período reservado a tais solicitações.

7.13 – A entrega da ficha de performance faz parte da prova. Sendo assim, a equipe que não a retirar quando chamada pela ORGANIZAÇÃO não terá direito a reclamações ou recursos. É responsabilidade exclusiva da equipe acompanhar as atividades da ORGANIZAÇÃO para ter informações sobre o momento da entrega da ficha de performance.

RECURSOS

7.14 – Qualquer equipe inscrita que se julgar prejudicada terá o direito de apresentar recursos, dentro do período previsto, por escrito, e entregue em mãos ao Diretor de Prova da ORGANIZAÇÃO.

7.15 – No julgamento dos recursos sobre tempos e passagens ou não pelos PC’s é soberano o registro do coletor.

7.16 – Enquanto os recursos não forem julgados não haverá entrega de prêmios nem oficialização do resultado.

7.17 – A ORGANIZAÇÃO convocará o diretor de trilha e, a seu exclusivo critério, representantes de entidades do esporte ali presentes, para deliberação sobre o recurso interposto.

7.18 – A decisão sobre os recursos será divulgada pela ORGANIZAÇÃO a todos que estiverem presentes e dela não caberá recurso ou reparação de qualquer natureza.

RESULTADO OFICIAL

7.20 – Não havendo recursos ou após a divulgação da(s) decisão(ões) sobre o(s) mesmo(s), será divulgado o resultado oficial da prova. Este resultado não será passível de recursos nem alterações.

REGRA 8 – Motivos para desclassificação

8.1 – Será desclassificada sumariamente, sem direito a protesto ou recurso, a equipe que praticar as seguintes condutas:

  • desrespeitar a propriedade alheia ou a natureza, causando sua danificação, destruição ou desvalorização. (Esta penalidade não isenta a equipe de responder civil e criminalmente pelos atos praticados);
  • desrespeitar as pessoas, praticando atos antidesportivos entre equipes ou entre membros da própria equipe;
  • ingerir bebidas alcoólicas ou fazer uso de substâncias proibidas durante a realização da etapa;
  • retirar do percurso qualquer tipo de marcação ou orientação, sejam públicas ou da ORGANIZAÇÃO;
  • trocar integrantes da equipe sem solicitação à ORGANIZAÇÃO e sua respectiva aceitação;
  • obstruir propositadamente a passagem de outra equipe;
  • desrespeitar ou desacatar as decisões da ORGANIZAÇÃO e orientações dos resgates ou dos PC’s;
  • alterar anotações ou mexer nos coletores dos PC’s;
  • não devolver o CHIP ao PC de chegada;
  • andar (mesmo que só com um integrante) pelo percurso da etapa antes da sua largada OFICIAL;
  • passar ou receber informações da etapa para equipes que ainda não largaram (posição de PC, distâncias, PC virtual, etc.);
  • jogar lixo, folhas de planilhas, pilhas, etc., no percurso;
  • utilizar equipamentos de comunicação (celulares, pagers, rádios ou similares) em benefício próprio nas provas;
  • utilizar equipamentos mecânicos de medição: “rodinha”, trena, barbantes, cordas, binóculos, etc.;
  • utilizar equipamentos eletrônicos de medição: GPS ou similar, lasers, ultra-som, etc.;
  • fornecer ou receber de outra equipe a confirmação física de passagem da equipe por PC;
  • depois de ser registrada no PC de chegada, voltar ao percurso para registrar um PC que não tenha registrado;
  • largar sem chip ou cartão de passagem (caso haja) nos PC’s, quando houver;
  • tentar se comunicar, entrar em contato ou influenciar o APURADOR antes da divulgação dos resultados oficiais.

8.2 – A desclassificação poderá ser por uma prova ou eliminação do Circuito. Para essa decisão, a ORGANIZAÇÃO convocará o diretor de trilha e, a seu exclusivo critério, representantes de entidades do esporte ali presentes.

8.3 – A eliminação do Circuito ou a desclassificação em uma prova são definitivas e não geram direito a reparação ou ressarcimento de qualquer natureza.

8.4 – A desclassificação em uma prova lança a equipe ao último lugar da classificação da etapa.

8.5 – No caso de duas ou mais equipes desclassificadas na mesma prova, será considerado o desempenho das equipes na prova que gerou a desclassificação, independentemente em que ponto esta aconteceu, apenas para determinar a ordem final de classificação, nos últimos lugares.

REGRA 9 – Equipamentos

De uso obrigatório

9.1 – INDIVIDUAIS: Calçado apropriado para caminhada, roupas leves e confortáveis, lanterna e pilhas (inclusive nas provas realizadas durante o dia) e Kit para hidratação (squeeze, camelback, etc.).

9.2 – POR EQUIPE: Kit de primeiros socorros, duas bússolas, cronômetro ou relógio, calculadora, caneta, recipiente para lixo e kit com alimentação leve.

9.3 – A critério da ORGANIZAÇÃO cada equipe poderá receber um colete numerado, que será sua identificação durante as provas. Este colete é de uso obrigatório por um integrante da equipe.

9.5 – A ORGANIZAÇÃO é soberana para impedir que qualquer equipe participe de alguma das etapas caso constate a ausência de algum dos equipamentos de uso obrigatório, não cabendo às equipes direito à indenização ou compensação.

Permitidos e proibidos

9.6 – PERMITIDOS: Pedômetro, Palm, Notebook, HP, Totem, WinnerCompass, telefones celulares (apenas para emergências).

OBSERVAÇÃO: Não será permitido a utilização de aparelhos eletrônicos desenvolvidos especialmente para o esporte como Totem, Winer na categoria Trekker.

9.7 – PROIBIDOS: GPS, Rádios, Trena de Roda, Trena manual ou qualquer outro dispositivo de medição que não seja o próprio contador de passos.

9.8 – A utilização de equipamentos proibidos implicará na desclassificação automática da prova, sem direito qualquer reparação ou indenização.

REGRA 10 – Casos Omissos

10.1Os casos omissos ao regulamento serão resolvidos e julgados pela Direção de Prova.

Baixe o Arquivo Categorização 2018


Baixe o Arquivo Classificação 2018


Baixe o Arquivo Regulamento 2018